Fotos que contam histórias

Spathi
Chordata

Rolinha (Columbina talpacoti) – ninho

aves-rolinha-filhote-ninho-columbina-160906

Sicalis flaveola, o canário da terra

aves-sicalis-flaveola(canario)-limo-verde.pro.7a6b78 0110

aves-sicalis-flaveola(canario)-limo-verde.pro.7a6b78 0113

aves-sicalis-flaveola(canario)-limo-verde.pro.7a6b78 0115

aves-sicalis-flaveola(canario)-limo-verde.pro.7a6b78 0129

O voo do pássaro


Creio tratar-se de um Tyrannus.

As cores de um colibri


Você observou o que aconteceu quando o colibri girou (00:44)?. Isso mesmo, suas cores pálidas de repente deram lugar a um verde metálico brilhante, motivo pelo qual esse colibri, o Amazilia fimbriata, é chamado de Beija-flor-de-garganta-verde.

Interessante mesmo é saber que essa cor não vem de um pigmento ou simples reflexo…

Este fenômeno é chamado de iridescência. As superfícies iridescentes apresentam cores que variam segundo o ângulo de incidência da luz.

Assim como ocorre em outros tantos cantos da natureza, das borboletas aos besouros, de conchas, penas de colibri e até bolhas de sabão, a iridescência tem por base um efeito chamado interferência. Essa é apenas uma das belas e intrigantes propriedades que caracterizam a luz que, nesse caso, se comporta uma onda que se propaga e pode interferir com seus pares.

Funcionando como verdadeiros instrumentos naturais, insetos, aves e até plantas há muito desnudam cores que a ciência só veio compreender muito recentemente.

Alguns nomes que passaram por esse tema foram Robert Hook, Isaac Newton, Thomas Young, Augustin Fresnel, James Maxwell e Heinrich Hertz. Há dois séculos a humanidade ainda criava a teoria ondulatória da luz, trazendo assim os elementos necessários ao entendimento da interferência. Há pouco mais de 50 anos, microscópios eletrônicos investigaram pela primeira vez a estrutura das asas de borboletas. Aqui, a iridescência era resultado de finas estruturas promovendo a interferência dos feixes de luz que emergiam delas.

Essa mesma luz que exibe características tão marcadamente ondulatórias, hoje abriga-se debaixo do duplo conceito onda-partícula. Bem, mas isso já é outra história…

Iridescência en penas do colibri (Passe o mouse sobre a foto)
Iridescência em Paua Abalone (Passe o mouse sobre a foto)


Eupetomena macroura, o colibri-tesoura.


Referência externa:
Interferência
Filme-fino

Iridescência

[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_aves-amazilia-fimbriata-colibri-cap_-79676bwm-005382.jpg]4480
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_aves-amazilia-fimbriata-colibri-cap_-79676bwm-005478.jpg]260
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_aves-amazilia-fimbriata-colibri-cap_-79676bwm-005495.jpg]320
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_aves-amazilia-fimbriata-colibri-cap_-79676bwm-005597.jpg]330
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_aves-eupetomena-macrouracolibri-tesoura-cap_-79676bwm-0011041.jpg]330
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_aves-eupetomena-macrouracolibri-tesoura-cap_-79676bwm-002546.jpg]270
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_aves-eupetomena-macrouracolibri-tesoura-cap_-79676bwm-002554.jpg]300
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_aves-eupetomena-macrouracolibri-tesoura-cap_-79676bwm-002577a.jpg]290
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_haliotis-irispaua-abalone-79676ewm-6723.jpg]370
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_haliotis-irispaua-abalone-79676ewm-6725.jpg]250
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_haliotis-irispaua-abalone-79676ewm-6727.jpg]230
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_haliotis-irispaua-abalone-79676ewm-6727a.jpg]310
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_haliotis-irispaua-abalone-79676ewm-6731.jpg]130
[img src=http://www.fotosquecontamhistorias.com.br/wp-content/flagallery/iridescencia/thumbs/thumbs_haliotis-irispaua-abalone-79676ewm-6731a.jpg]130